Notícias

A Educação como ferramenta de transformação.

Neste dia 15 de outubro comemoramos o Dia dos Professores. Como empresa de educação a Pivot Point está sempre em contato com o poder transformador que o ensino tem na vida das pessoas. Não apenas no âmbito profissional, capacitando tecnicamente cabeleireiros, coloristas, stylists e barbeiros, mas também na vida individual de cada um dos alunos que sacrifica seu tempo e investe suas economias em nossa metodologia.

Ao longo dos 15 anos de Brasil, inúmeras são as histórias de profissionais, de pessoas, homens e mulheres, que deram depoimentos a respeito deste poder transformador. Mas algumas destas histórias pessoais são individualmente marcantes. Pedimos então a nossos Educadores (principais agentes destas mudanças) que compartilhassem algumas destas.

Elton Nunes nos conta uma história que até hoje o deixa com olhos marejados. “Há uma aluna que fez o curso na Bahia comigo, em Salvador. Era de uma cidade pequena e, para poder pagar pelo curso, fez uma rifa de várias coisas de casa, produtos e de serviços do salão entre as clientes. Sem dinheiro para o transporte, todo dia de manhã, antes do sol nascer, ela pegava carona no caminhão de leite para poder ira a Salvador fazer o curso e voltar no final do dia. Não tinha dinheiro para almoçar, então as colegas de curso pagavam o almoço para ela. Foi um sacrifício gigante. Dois anos depois, eu voltei a Salvador e descobri que ela estava trabalhando no melhor salão da cidade, já com uma clientela grande e estabelecida. Havia se mudado para Salvador e estava muito bem na profissão”.

O educador Victor Hugo também possui uma história de superação muito emocionante do último Brides & Divas Classic realizado em Bauru: “Um aluno muito querido havia recentemente saído de um coma. Ele sofrera um grave acidente de carro e tinha ficado 3 meses desacordado. E foi a paixão dele por cabelos e a dedicação que ele tinha pelo trabalho que fez com que ele decidisse entrar na sala de aula e se dedicar para poder continuar a fazer o que amava. Ele tinha perdido praticamente toda capacidade de fala e muito da capacidade de movimentos. Todos os alunos abraçaram a causa dele e juntos o ajudamos em seus penteados. Mesmo com todas as sequelas, ele enfrentou todas as dificuldades e limitações que o acidente o havia imposto e concluiu o curso”.

Rodolfo di Avansi também compartilha conosco outra história de superação pessoal para se alcançar sonhos: “era uma profissional que não sabia ler direito. Então ela veio com uma de suas filhas, que além de também fazer o curso, lhe ajudava a interpretar as apostilas e a ajudava fazer as anotações para estudo. Foi um dos cursos mais empolgantes que eu dei na minha vida! Para minha surpresa, a pessoa que seria a que teria maiores barreiras, era a que chegava mais cedo no curso e última que ia embora. No encerramento a mãe me falou que, quando criança, não teve condições de estudar. E que hoje faz questão de dizer que as filhas teriam todo o estudo que ela pudesse pagar”.

A Educadora Camila Salles nos dá seu testemunho: “Representar uma metodologia na qual eu acredito e confio só me faz ter certeza do caminho que eu escolhi. Se tenho a oportunidade de ensinar a alunos que não tem nenhum tipo de experiência, quando vejo o quanto eles desenvolvem em apenas 4 dias, isso me emociona e me faz querer ser sempre melhor para meus alunos. Tive uma aluna que me disse no primeiro dia que achava impossível ser capaz de cortar um cabelo da forma como seus colegas faziam. Ao longo do curso ela foi se desenvolvendo. Usando a metodologia Pivot Point ela foi capaz de executar cada exercício proposto. Lembro como se fosse hoje ela, no último dia, me agradecendo emocionada, com águas nos olhos e voz trêmula, me dizendo que eu tinha feito um milagre na vida dela e que eu nunca me esquecesse da minha aluna milagre. O que ela não sabe é que quem faz milagre é a educação. O conhecimento e a dedicação é o que nos faz conquistar resultados positivos. Eu agradeço todos os dias por poder transformar as pessoas através da educação”.

E não são apenas as mulheres que se emocionam, os brutos também choram. Segundo o Educador-Barbeiro Danillo Moretti: “Tem algum mistério nos meus cursos, porque um monte de gente já chorou emocionada. Lembro que tive um aluno com muita dificuldade, muita mesmo. Ao longo do curso ele falava toda hora em desistir, que não ia dar certo…. E eu insistia ali com ele. Me aproximava, pegava em sua mão e repetia os movimentos. No encerramento, ao pedir que cada um se manifestasse sobre o curso, justamente esse rapaz que teve toda essa dificuldade, que falava em desistir, disse, chorando, que tinha mudado a vida dele ali. Ele me disse ‘poxa, você fez eu conseguir fazer algo que eu não conseguia de jeito nenhum’ e isso mudou bastante ali para ele. Ele até disse: ‘daqui a 6 meses vou te mandar um vídeo mostrando tudo que eu estou conseguindo fazer por aqui’.”

O Educador Bruno Carvalho nos conta a experiência com um amigo pessoal de muitos anos, que foi seu aluno recentemente em um curso: “Algum tempo após o curso fomos jantar e, ao me ver, a primeira coisa que ele me disse foi ‘amigo, eu queria te agradecer. No dia que eu cortei o primeiro cabelo, assim que eu voltei do curso, eu fiquei completamente emocionado. Pela primeira vez em quase 20 anos de profissão, eu sabia realmente o que estava fazendo’. Para mim foi fantástico saber que você pode fazer parte da vida da pessoa de uma forma assim tão expressiva. Um profissional já bem conhecido, conceituado, que tem uma clientela grande vir assim e falar uma coisa dessas, com emoção na voz, é poderoso”.

O Educador-Barbeiro Daniel Augusto também presenciou profissionais com anos de experiência que se surpreendem com o quanto ainda podem aprender. “No começo do curso, quando cada um se apresenta, um aluno detalhou todo seu currículo e sua experiência em fazer desenhos com máquina e navalha. Naquele momento eu pensei ‘esse é uma estrela, e talvez seja um aluno muito crítico e difícil’. O curso foi acontecendo e eu percebi que ele não era este tipo de pessoa. Era bem humilde na verdade. A cada exercício ele me dizia: ‘pô Daniel, eu achava que eu sabia cortar e agora vejo que na verdade nem sabia mexer na tesoura direito, meu negócio era só desenho’. No encerramento ele confirmou ‘Daniel, eu realmente aprendi a cortar cabelo agora, eu achava que era bom, mas na verdade eu não sabia nada’. Disse que aprendeu muitas técnicas, que foi um diferencial na vida dele. Então ficou completamente agradecido.

Bruno Caldas nos conta que “dentro de uma sala de aula a gente tem o poder de transformar não só a vida da pessoa financeiramente, não só profissionalmente ou tecnicamente. Podemos transformar a vida da pessoa mentalmente, emocionalmente”. “Vivi um acontecimento muito bacana, um tanto quanto forte, em um dos últimos cursos. Um aluno que durante todo curso repetia, empolgado: ‘Nossa! Como nossa profissão é linda! Como eu não quero sair dessa profissão. Você está me fazendo enxergar de uma outra forma, sabe?’ Percebi que ele era um aluno muito esforçado. Ao final do curso ele se aproximou discretamente de mim e me contou sua história: Havia largado outra profissão após tomar um calote de um ex-sócio e tinha recentemente entrado na área da barbearia. Estava com muitos problemas financeiros. Tinha um filho e a esposa não confiava nesta escolha profissional. E então me disse: ‘faz 20 dias eu pensei em tirar minha vida. E você em 2 dias me fez sair deste poço mental no qual eu estava enterrado. Se tivesse me deixado levar, não estaria hoje aqui. Não teria te conhecido e saído deste curso com uma gana gigantesca de fazer o meu filho ter o melhor futuro da vida dele’.” Nosso Educador, emocionado, complementa: “É aí quando você percebe que o poder da educação é maior do que você imagina. Não dá para mensurar o quão forte isso é na vida das pessoas”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.